Indicadores de Responsabilidade Social

Indicadores de Responsabilidade Social

Para as empresas que assumem essa boa prática porque acreditam em sua importância, aqui vão (em ordem alfabética) as características fundamentais que devem ser consideradas como indicadores para organizar seus projetos e ações de RSE:

 

Comprometimento: garantia de conclusão do programa para que a comunidade possa se envolver e contar com os ganhos previstos sem ser abandonada ao longo de um projeto com o qual se envolveu e no qual investiu; indicação de desenvolvimento de projetos de RS de acordo com a missão da empresa e as demandas dos públicos envolvidos – interno, familiares, comunidade, sociedade, gerações futuras; garantia de verbas, pessoal, espaço físico e material.

Cuidado: intenção primária da empresa em agir de modo a acolher a comunidade, orienta-la sobre seus princípios, objetivos e políticas de parcerias e estabelecer canais de comunicação simples e eficientes.

Legitimidade: reconhecimento da população envolvida, que garante à empresa o direito e a competência de desenvolver um determinado programa.

Pertencimento: ações que indiquem claramente que os atores envolvidos pertencem ao programa e participam de sua elaboração – confecção do projeto, participação na indicação dos gestores, conferência dos orçamentos, investimentos e balanços, avaliação dos resultados intermediários e finais; identidade da empresa com a comunidade interna e externa e com as demandas éticas contemporâneas.

Pertinência: acordo com a comunidade sobre a importância, adequação e viabilidade do projeto.

Transparência: informação clara das intenções do projeto; análise de impactos; definição racional dos prazos; divulgação compreensível do projeto e dos resultados de cada etapa; definição prévia dos aportes dirigidos a cada etapa do projeto; indicação do contato com a pessoa ou equipe responsável pelo projeto; determinação do prazo máximo para respostas às demandas; precondições para aceitação de fornecedores.

 

 

Tarefas

 

Construir, colaborando com inovações e soluções frente às necessidades imediatas e problemas crônicos ou crescentes;

Fomentar a produçao artística e intelectual bem como o acesso a elas;

Incentivar indivíduos, grupos, comunidades e instituições diversas a desenvolver competências, agir proativamente, aprimorar o conhecimento e estabelecer redes de ação;

Legar recursos, estruturas, conhecimento e  reconhecer sua participação na construção de um futuro que é cada vez mais ameaçador ao bem estar da humanidade;

Preservar, cuidando do manejo sustentável, adotando atividades preventivas e educndo a esse respeito;

Prevenir e cuidar hoje de problemas que possam eclodir no futuro e reforçar os alicerces que sustentarão o desenvolvimento;

Reconstruir (refazer; restaurar);

Resgatar memória; tradição, técnicas simples e eficazes de conhecimento popular e valorizar o saber local;

Zelar pela arte, cultura, ambiente (natureza, urbanismo, comunidade) , ciências, educação (de “zero a cem”), saúde, economia, espiritualidade e patrimônios.

 

Bernardo Monteiro de Castro